Mobil

[Automobile][threecolumns]

Motor

[Automobile][list]

Kapal

[Automobile][threecolumns]

Pesawat

[Automobile][list]

Kereta

[Automobile][twocolumns]

Mesin

[Automobile][bleft]

Robot

[Automobile][list]

Saturday, October 19, 2019

Kantai Collection x Azur Lane

Silahkan membaca berita terbaru tentang otomotif berjudul Kantai Collection x Azur Lane di website Batlax Auto.
Era de se esperar que eu iria fazer essa postagem. Mesmo sabendo o quanto que o assunto pode parecer sem noção e absurdo, mas eu realmente não poderia ficar sem falar mais uma vez sobre esses dois jogos, ambos abordando o tema bem peculiar das meninas-navio. Cansei de contar como que eu cheguei a esse ponto, motivado pelos posts de navios que eu comecei a fazer aqui e que acabaram me apresentando aos jogos Kantai Collection e Azur Lane, sobre os quais falei em outras oportunidades, chegando ao ponto de colocar aqui as sátiras dos episódios do primeiro jogo.

Como esperado, chegou o momento em que os dois vão se "enfrentar".


Se algum de vocês por acaso conhece um desses jogos, certamente já deve ter visto outras páginas fazendo o mesmo, indo desde aquelas que tentam ser relativamente neutras e analisam diferentes pontos de maneira fria, até as outras que são mais parciais para um dos lados. Não será o caso aqui: embora eu ultimamente tenho dedicado mais minha atenção ao chinês Azur Lane, ainda visito algumas vezes o japonês Kantai Collection que me apresentou um curioso mundo das representações antropomórficas de navios da Segunda Guerra. Ou seja, são dois jogos com os quais eu simpatizo, e apesar de algumas comparações eu pretendo ser justo.

Sei que muitos não devem se interessar, mas para aqueles que topam acompanhar, vamos em frente.

A primeira coisa que eu falo é que comparar os dois jogos é algo desonesto. Pois cada um deles possui uma proposta diferente, a única coisa que Kantai Collection e Azur Lane compartilham é o tema de meninas-navio, só isso. Em termos de jogo mesmo, cada um apresenta uma premissa diferente. Kantai Collection está para um estilo de gerenciamento de recursos, muito mais na linha de um simulador como um Sim City, em que a ação é muito pouca, e quando está presente é de forma singela, com combates totalmente aleatórios com quase nenhuma interação do jogador.


Azur Lane, por sua vez, segue a linha oposta: nele há muito mais movimento, os combates são frenéticos com tiro pra todo o lado, sendo que parte das meninas-navio são controláveis (embora exista ainda a opção de deixar em modo automático), indiscutivelmente com mais ação. Por outro lado, a estratégia é bem menos presente, com pouco gerenciamento de recursos, exigindo que o jogador pense menos. 


Por isso comparar os dois jogos é algo injusto, por terem perfis diferentes. Aqueles que gostam mais de estratégia e de pensar, tendem a preferir o Kantai Collection; quem gosta de mais ação e simplicidade, curte mais o Azur Lane.

Eu pessoalmente gosto de ambos os estilos de jogos. Mas o pouco tempo que eu tenho disponível para esse tipo de diversão eletrônica faz com que eu acabe jogando mais o Azur Lane ultimamente. 

Até porque o Kantai Collection possui algumas características que o tornam um jogo muito frustrante. Justamente a pouca ênfase na ação faz com que os combates sejam totalmente aleatórios, sua única influência está na escolha das meninas-navio de cada frota, juntamente com seus equipamentos e no máximo definir uma das formações de batalha. A escolha do caminho a seguir no mapa é função de diversos critérios que precisam ser atendidos (como ter exatamente dois cruzadores, no máximo um couraçado equipado com um certo tipo de munição e assim por diante), enquanto que todo o combate é aleatório, com suas meninas-navio atirando de qualquer maneira, geralmente com a mais forte gastando munição em um alvo secundário, sem nenhum tipo de controle sobre o resultado. É quase como rolar alguns dados, sem poder tomar decisão nenhuma.


Assim, passar por uma missão exige que você monte uma esquadra segundo requisitos bem exigentes (e que muitas vezes passam despercebidos, uma vez que o jogo é todo em japonês) e precisando contar com uma grande dose de sorte. Chega em um ponto em que a frustração é maior do que a diversão.

Azur Lane é sem dúvida muito mais movimentado, a pessoa se sente fazendo algo ao participar dos combates. É um ponto positivo, mas também temos que perceber que em determinadas horas o jogo se torna repetitivo. Principalmente quando suas meninas-navio começam a chegar em níveis mais altos e passar pelas fases fica uma moleza, e nessas horas a tentação de ligar o combate automático é muito grande. Aí Azur Lane se consolida como o que no fundo ele é: um gacha game, ou seja, um joguinho simples em que o objetivo é colecionar todas as personagens. Quase como um Pokemon...


Mas enfim... repito que uma comparação dos jogos é complicado, pois cada um tem o seu estilo. Vamos tentar comparar outras coisas.

Um dos pontos que eu acho válido comentar é a questão do público-alvo. Digo isso sob um ponto de vista geográfico, comparando como que cada jogo se apresenta às pessoas de diferentes países. Nesse ponto eu não penso duas vezes e dou o troféu para o Azur Lane. Isso porque, embora o jogo tenha uma origem chinesa, ele foi lançado também em inglês, o que permite que nós, ocidentais, tenhamos acesso ao jogo. Tudo bem que essa versão demorou um pouco mais para sair, mas pelo menos conseguimos disfrutar bem da diversão.

Diferente do Kantai Collection, pois o jogo foi lançado somente no Japão. Para nós jogarmos, tem que fazer uma mega gambiarra, usando algum tipo de VPN ou outro truque para ter acesso ao jogo. Eu, por exemplo, uso um aplicativo do Chrome que cuida de tudo, se não fosse isso eu mal conseguiria passar da primeira tela.


Isso se aplica até mesmo aos outros jogos das franquias: Kantai Collection tem também um jogo de arcade sensacional, pelo menos baseado no que vemos nos vídeos, mas que só está disponível no Japão. Por sua vez, em breve será lançado uma versão de Azur Lane para consoles de videogames domésticos, com previsão de uma versão ocidental para o ano que vem.

Faz com que Kantai Collection seja um pouco mais... elitista. É um jogo criado por japoneses com a intenção de disponibilizá-lo somente para japoneses. Azur Lane é mais universal, e é até uma das razões que faz com que muitos o considerem hoje um jogo superior ao seu adversário japonês.

Em termos de história, podemos dizer que ambos compartilham o mesmo assunto principal, trazendo as batalhas navais da Segunda Guerra Mundial. Existe logicamente uma diferença do foco das principais missões, sendo que no Kantai Collection a ênfase é total na marinha japonesa, enquanto que no Azur Lane o ponto de vista dos principais combates é a partir dos olhos dos norte-americanos. Apesar desse foco na guerra do Pacífico, eventualmente em ambos os jogos existem eventos que são baseados em combates que ocorreram no Atlântico.


Há percepções diferentes quanto ao país que é focado. Tem pessoas que condenam o Kantai Collection por ele "glorificar" os nipônicos, ignorando os crimes de guerra que eles cometeram. Por outro lado, tem os babaquinhas anti-americanos que criticam qualquer cosia que seja feita pela ótica estadunidense, e aí reclamam do Azur Lane. Acho estupidez pensar assim, são apenas jogos, cacete! Mostra como a ideologia barata polui qualquer opinião...

Nesse aspecto de história, eu fico dividido. Por um lado eu acho que Kantai Collection traz uma certa originalidade, pois cria situações de "what-if". A gente sabe que o Japão se escafedeu na guerra, sendo derrotado na maioria dos combates, e na posição do jogador você tem a possibilidade de mudar os rumos dos acontecimentos reais, vendo missões que representam o que o Japão pretendia fazer, caso tivesse sido bem sucedido. Olhando dessa forma, Azur Lane tende a ser menos "original", pois jogamos com os Estados Unidos, que ganharam a guerra, e simplesmente repetimos o que aconteceu.


Por outro lado, Azur Lane ganha no que diz respeito à variedade de histórias. A quantidade de eventos é bem maior, e muitos deles acabam sendo focados em outros países. Assim, você terá a oportunidade de participar de combates a partir do ponto de vista da Inglaterra, Alemanha, Itália, França e outras nações. Proporciona uma maior diversidade que é muito bem-vinda.

Sem falar que todas as histórias de Azur Lane possuem cutscenes. Ou seja, em diversos momentos você pode ler o diálogo entre as meninas-navio, o que ajuda na ambientação, a maioria usando as figurinhas delas, mas também com algumas de artes personalizadas, como na imagem abaixo. Isso é que faz falta em Kantai Collection, e se tivesse seria em hieróglifos japoneses indecifráveis.


Ainda sobre a história, ambos os jogos fazem uma adaptação em relação à realidade, e aí é que entram os inimigos, que motivam as meninas-navio a irem para os sete mares. Kantai Collection coloca os Abissais na posição de bandidos, que representam misteriosas criaturas que surgiram do fundo do oceano e que espalham o terror por onde passam. Alguns dos Abissais são monstrengos dos mais bizarros, realmente conseguiram fazer criaturas que representam o mal, mas também existem meninas-navio de caras pálidas e expressões inertes. Kantai Collection só peca em não deixar muito clara a motivação por trás dos Abissais, é algo que só foi explicado no filme.


E não vou dizer o que é! Você vai ter que esperar pra ver minha sátira do filme. Ou então vai procurar na Internet.

Em Azur Lane, na maior parte do tempo vemos enfrentamentos entre meninas-navio, geralmente com as japonesas como adversárias, uma vez que as missões do jogo são vistas a partir do lado dos Estados Unidos. A história é um pouco mais explicada, onde começou com todos os países amiguinhos, mas então alguns deles foram enganados pelos verdadeiros bandidos, as tais Sirens. Essas na verdade parecem ser alienígenas que incentivam o combate entre as nações para enfraquecer a humanidade, e assim dominar o planeta. Para isso, elas orquestram tudo como um "experimento", baseado no conflito naval da Segunda Guerra, e tentando mudar os rumos da história real.


Diferente do visual monstruoso dos Abissais de Kantai Collection, as Sirens são high-tech, incluindo navios comuns que parecem mais naves, mas também outras personagens humanóides, que muitas vezes aparecem nas cenas de diálogo, geralmente se vangloriando do plano infalível que estão colocando em prática... ou depois lamentando que entraram pelo cano.

Aqui, eu penso que essa jogada de criar inimigos surreais é meio tosca... Tudo bem que isso ajuda a justificar certas coisas, criando um bandido comum fica mais fácil explicar por que uma menina-navio japonesa estaria lutando ao lado de uma americana. Diria que Azur Lane se destaca um pouquinho a mais, por dar mais espaço entre batalha entre nações, o que remete mais à realidade. Mas na minha opinião a idéia de inimigos bizarros, sejam monstros do fundo do mar ou extra-terrestres, é meio boçal.

Aliás, vale comentar aqui algo sobre os países. Em Kantai Collection não há nada explícito que diga que elas são japonesas, mas logicamente tudo é bem perceptível. Em Azur Lane, foram inventados nomes fictícios para cada nacionalidade. Dessa forma, Estados Unidos virou Eagle Union, Japão é Sakura Empire, Alemanha pasa a ser conhecida como Ironblood e a Itália recebeu o curioso nome de Sardegna Empire.


Sim, lembra mais sardinha do que qualquer outra coisa...

Além disso, cabe comentar outro detalhe no mínimo curioso sobre os dois jogos, que eu não soube bem onde encaixar, mas acho que fica melhor aqui nesse momento. Algo que Kantai Collection e Azur Lane compartilham é o fato de que as meninas-navio tem uma série de "ajudantes", que parecem representar o lado cômico e "fofinho" que é comum em jogos, desenhos e tudo que é oriental.

Você deve saber como é... japoneses, e provavelmente chineses também, sempre criam esses personagens com um visual infantil, geralmente com olhos grandes e expressão inocente, mesmo que seja um monstro babão e cabeludo, com aquela intenção de apelar para um lado mais engraçadinho e "cheio de açúcar". E que logicamente geram milhões de itens de merchandising para vender.


Pois é, e nos dois jogos não seria diferente...

Em Kantai Collection, a dose de "fofura" fica por conta de pequenas personagens que são chamadas de fairies, ou "fadinhas". Em diversos lugares do jogo, como ao girar a bússola do mapa que vai provavelmente te afastar do seu destino, na fábrica onde meninas-navio são construídas ou sempre ao lado dos equipamentos, você verá essas pequenas criaturinhas que mais parecem gnomos.


Por sua vez, em Azur Lane essa posição é preenchida por um monte de passarinhos amarelos, conhecidos como Manjuus, e que na verdade são o mascote de uma das empresas responsáveis pelo jogo. Eles aparecem em algumas imagens, como itens a serem comprados para o dormitório e mesmo junto com algumas das meninas-navio.


Claro, independente de serem fadinhas sorridentes penduradas em aviões ou pintinhos amarelinhos que parecem ter fugido da música do Gugu, ambos colaboram para colocar em dúvida a masculinidade dos jogadores, criando esse visual cuti-cuti que nada tem a ver com navios de guerra...

Bom, apesar dos jogos serem bem diferentes, existem alguns pequenos detalhes que podem ser comparados. E um dos que certamente mais chama a atenção tem a ver com as maneiras de ganhar e perder uma determinada menina-navio. Afinal de contas, nos dois jogos um dos principais objetivos é aumentar o seu "harém", conquistando mais e mais meninas-navio para fortalecer a sua esquadra. E nesse ponto os jogos são bem diferentes.

Em Kantai Collection é relativamente bem difícil conseguir determinadas meninas-navio. Raramente elas são recebidas como prêmio após vencer uma batalha, e geralmente a gente ganha aquela que é bem comum. Outra forma é através de uma fábrica, onde você pode usar os recursos para construir uma do zero. E esse é um dos pontos mais complicados, pois existem determinadas "receitas", compostas por quantidade mínima de aço, munição, combustível e bauxita (os recursos do jogo) que tendem a aumentar as chances de conseguir uma menina-navio de determinada classe. Só mesmo olhando em algum site pra ter uma idéia.


E que ainda assim não é garantia de que você vai conseguir. Tipo, você pode dedicar centenas de seus recursos para tentar um porta-aviões, e no final recebe um destróier igual ao que você já tem. Ou seja, tem uma grande dose de sorte envolvida.

Tem gente que vê isso como algo motivador, pois cria uma certa dificuldade para você ganhar aquela menina-navio que você sempre quis. E sabemos bem que quanto mais difícil é ganhar alguma coisa, mais valorizamos quando conseguimos, especialmente se considerarmos que os recursos são relativamente escassos e difíceis de serem adquiridos (talvez uma pequena referência à dificuldade que o Japão tinha na guerra de obter tais recursos naturais).

Por sua vez, em Azur Lane a construção é bem mais simples. Além do jogo ser bem mais generoso nos drops, alguma vezes dando meninas-navio relativamente raras após o combate, existe uma lógica de construção mais direta. Basta escolher uma das três categorias que possuem diferentes tipos de navios (por exemplo, navios leves são cruzadores e destróieres, pesados incluem couraçados e especiais são os porta-aviões e submarinos). Eventualmente aparece uma quarta categoria para os navios de eventos. Cada uma delas consome uma determinada quantidade de moedas e os tais cubos de construção. E pronto, você recebe um navio.


Existe sim uma questão de sorte, especialmente quando falamos de eventos: neles, é bem fácil gastar centenas de cubos e só receber meninas-navio genéricas, gerando uma frustração enorme. Mas, sem sombra de dúvidas, Azur Lane é muito mais camarada nessa questão, e não é tão complicado acumular inúmeras meninas-navio sem muito esforço.

Isso nos leva à situação oposta, de perder uma menina-navio. E aqui é que temos uma grande diferença...

Em Kantai Collection, durante os combates suas meninas-navio podem sofrer danos, que são classificados em cores. A partir do nível laranja elas começam a entrar em uma zona de perigo, o que é indicado pela mudança de sua figurinha, mostrando a moça com roupas rasgadas para demonstrar o seu estado. Mais um pouco e ela chega no nível vermelho, e era quando o jogador precisava estar atento.


Se a menina-navio chegasse nesse nível vermelho de dano crítico e em uma batalha fosse mais danificada a ponto de acabar com sua energia... já era. Ela afundava de vez, sendo perdida para sempre.

Tal conceito é conhecido como permadeath, e provavelmente foi o motivo que levou muito dos jogadores de Kantai Collection ao desespero. Pois nesse jogo não tem como recarregar um save prévio, não tem como fazer Ctrl+Z, não tem como limpar a cagada. Se a menina-navio afundou, você a perde para sempre, e precisará contar com a sorte para conseguir uma nova.


Ainda mais frustrante se você perdesse aquela menina-navio extremamente rara, ou que já tinha acumulado porrilhões de pontos de experiência...

Em Azur Lane, não tem nada disso de permadeath. Você pode levar uma surra em uma batalha, todas as suas meninas-navio serem estraçalhadas pelos inimigos após apanharem que nem cachorro de pobre... Terminou a missão, elas estão de volta, sãs e salvas, e com toda a energia recuperada, já que, diferente do que acontece em Kantai Collection, não há necessidade de reparos em Azur Lane.


Ou seja, não tem como você perder uma menina-navio nesse jogo. A não ser que você não a bloqueie nas docas e acabe mandando ela pro desmanche ou pra fortalecer outra sem querer.

Já comentei isso na postagem de Azur Lane, eu vejo essa diferença de uma forma indecisa... Por um lado Kantai Collection acaba sendo mais realista, pois existe o risco real de você perder alguém. Isso faz com que seja necessário cautela a jogar, evitando ir para uma batalha com as garotas muito machucadas. Acaba criando no jogador um senso maior de responsabilidade, ao ter que cuidar delas e evitar que algo de ruim aconteça. Diferente de Azur Lane, onde não é necessário ter essa preocupação, e as meninas-navio passam a ser quase como descartáveis.

Por outro lado, fico pensando na frustração do jogador de Kantai Collection, em um momento de desatenção ou quando tenta flertar com a sorte, que resulta na perda para sempre daquela menina-navio tão especial. Isso nunca aconteceu comigo pois eu sou muito medroso, mas quase perdi uma cruzador (Tatsuta, a mocinha abaixo) certa vez: não me atentei ao fato dela estar arrebentada e avancei para a batalha seguinte sem querer. Me lembro que eu não respirei, e com muita sorte ela escapou ilesa.


Nesse ponto, o fato de não ter esse risco em Azur Lane acaba tornando o jogo mais divertido e menos traumático na minha opinião. Repito, é algo que divide opiniões, mas no meu caso, eu vejo que essa "vantagem" do jogo chinês como algo positivo, pelo ponto de vista da jogabilidade.

Enfim, chegamos ao ponto que certamente é o mais divertido e interessante da comparação entre os dois jogos: as meninas-navio de cada um deles. Não apenas isso, mas também o que gera mais controvérsia entre os fãs de Kantai Collection e Azur Lane, geralmente com críticas ferrenhas de um contra o outro e vice-versa.

A começar pela quantidade, considerando um levantamento feito até final de setembro de 2019, em Kantai Collection são cerca de 240 meninas-navio únicas, enquanto que Azur Lane possui uma imensa lista que totaliza aproximadamente 450 personagens. Porém, se nós considerarmos versões extras, upgrades e modificadas, Kantai Collection chega perto de 500 garotas, número semelhante em Azur Lane. Pode apostar que, independente do jogo, você terá uma porrada de meninas-navio à disposição.


Uma das principais diferenças entre os jogos, e que certamente justifica a maior quantidade de personagens de Azur Lane, é como as nações são representadas. Kantai Collection é indiscutivelmente focado na marinha japonesa, de forma que 95% dos navios representados são nipônicos. Aos poucos começaram a colocar alguns da Alemanha, da Itália, e mais recentemente países aliados como Estados Unidos, Inglaterra e França começam a ter os seus representantes. Mas ainda de forma muito tímida: tipo, a marinha americana, que era a maior de todas na época, possui somente seis meninas-navio no jogo.

Por sua vez, Azur Lane traz um maior balanço entre os países. Além das quatro principais marinhas (Estados Unidos, Inglaterra, Japão e Alemanha), recentemente chegaram embarcações da Itália, França, e até mesmo da China, afinal de contas, o jogo é chinês. Na minha opinião, esse é um ponto a favor de Azur Lane, pois proporciona uma maior diversidade, dando a chance de jogarmos com navios que fizeram história, como o porta-aviões americano Enterprise, do qual já falei aqui.

Tudo bem, Kantai Collection é focado no Japão... mas isso acaba gerando um certo exagero, pois cada mísero navio da marinha japonesa ganha o seu espaço. Sério, são exatamente 105 destróieres japoneses, isso falando de meninas-navio únicas, sem contar suas inúmeras versões. Eu acho demais, fica repetitivo... Quando chega um novo evento que vai trazer novos navios, pode apostar que terá pelo menos um destróier japonês.


Repito, entendo que o foco é esse mesmo... mas esse "patriotismo exaltado" pode desanimar aquele jogador que não é japonês.

Ambos os jogos seguem a mesma idéia de antropomorfização dos navios de guerra, com as garotas "vestindo" partes do navio, como canhões, pontes de comando, lançadores de torpedos e pistas de pouso de porta-aviões. Logicamente que há espaço para a "liberdade poética", com algumas das meninas-navio trazendo visuais mais futuristas ou peculiares. Em linhas gerais, quanto maior era o navio, mais velha é a garota que o representa. Assim, porta-aviões e encouraçados geralmente são moças nos seus vinte e alguns anos, cruzadores parecem garotas com seus vinte e poucos e as destróieres são meninas mais novas.


Bom, e acreditando que elas tenham pelo menos 18 anos... Ou então vai ter muita gente que vai receber uma visitinha do FBI...


Pois é... honestamente, eu imagino que no caso do Azur Lane não exista esse "risco", considerando que o jogo foi lançado para o mercado ocidental também, e aí eu creio que a maioridade esteja assegurada se os produtores não querem encarar algum processo judicial. Por outro lado, como o Kantai Collection é teoricamente voltado somente para o Japão e sabendo como que os japoneses estão longe de serem puritanos... Já viu, né? Mas, para a nossa sanidade, vamos acreditar que mesmo as menores destróieres tenham 18 anos ou mais.

Enfim... mas o comparativo entre as meninas-navio dos dois jogos é o que gera a maior parte dos conflitos. De uma forma geral, em Kantai Collection elas se vestem de uma forma mais "comportada". Digo em geral pois sempre tem as suas exceções, com as saias curtinhas ou decotes exagerados, mas na sua grande maioria elas não são tão exibidas, muitas usam trajes típicos japoneses ou então roupas militares ... embora exista a imagem delas danificadas, que quase sempre envolvem roupas rasgadas, handbras e poses mais sugestivas.


Diferente de Azur Lane. Você até vai encontrar algumas que se vestem de forma relativamente normal, muitas com roupas militares também. É comum observar certos temas, como, por exemplo, para as meninas-navio inglesas tipicamente se adota um visual mais clássico, remetendo à realeza. Mas é evidente que os desenhistas são bem mais apelativos, com roupas muito mais ousadas e as moças muito mais sensualizadas. Tanto que algumas delas possuem roupas que são mais picantes na versão japonesa, e que foram "censuradas" na versão ocidental.


E olha que não tem a jogada de criar imagem com dano, ou aí é que perderiam a linha...

Deve-se falar que Azur Lane inova um pouco no visual com duas modalidades diferentes, não encontradas em Kantai Collection. Além das figuras de corpo inteiro, comuns aos dois jogos, o jogo chinês usa e abusa das versões em miniatura das personagens, que os orientais chamam de chibi. É assim que as meninas-navio aparecem nos combates, assim como em outras áreas do jogo, com esse estilo mais cômico, e que é animado: elas piscam os olhos e se movimentam, o que sem dúvida é mais legal do que uma mera imagem estática.


Além disso, Azur Lane possui algumas personagens com visual Live 2D. Hoje em dia muitos jogos de celular usam essa técnica, na qual o desenho é bidimensional, mas é feita alguma jogada de movimentos que dá a impressão que a imagem é viva, incluindo até algumas reações se você clica em determinados lugares. Poucas meninas-navio possuem esse recurso, muitas vezes associado a roupas extras, e somente visualizável quando ela é definida como "secretária" da esquadra, aparecendo na tela principal do jogo.


Adivinha onde 99,9% dos jogadores vão clicar vigorosamente, ao ver uma garota como essa aí de cima?

No quesito de visual, eu também fico meio dividido. Existem designs de ambos os jogos que funcionam muito bem, tem aqueles que são sem graça e boçais, e certamente aqueles (geralmente no Azur Lane) que são muita forçação de barra. Mas sem dúvida o uso de outras formas de imagem, como os chibis e o Live 2D, são pontos a se destacarem.

Algo que eu acho simpático e legal nos dois jogos, especialmente no Kantai Collection, é que tenta-se criar uma identidade para cada classe de navios, e isso se percebe nas roupas. De uma forma geral, meninas-navio de uma mesma classe são consideradas como irmãs e se vestem iguais, como as quatro garotas abaixo do jogo japonês, que representam a classe Myoko de cruzadores.


O mesmo é feito em Azur Lane, como no caso das destróieres inglesas a seguir. Mas a idéia não é tão presente como em Kantai Collection.


Outra coisa que é comum aos dois jogos são as roupas extras, para mudar o visual das meninas-navio de acordo com o momento. Porém, existe uma sutil diferença sobre como que elas fazem a mudança em seu guarda-roupa. Em Kantai Collection a alteração é automática, dependendo da época do ano elas se vestem de acordo com um determinado tema, como Natal, Ano-Novo, verão ou outra festa japonesa qualquer. Embora você não precise gastar nada para mudar o visual de uma menina-navio, fica restrito à época do ano, goste ou não goste, será a roupa que ela vai usar.


No caso de Azur Lane, algumas das novas roupas podem ser adquiridas em eventos de forma gratuita, após completar determinadas missões, enquanto outras são compradas na loja, por meio de diamantes (que é a moeda premium do jogo). E uma vez adquiridas, elas podem ser colocadas a qualquer momento, que é algo mais legal. Da mesma forma, as novas roupas geralmente remetem a certas festas sazonais ou aos eventos lançados.


E, como esperado... são roupas mais provocantes do que em Kantai Collection... Como diabos uma garota em sã consciência iria acabar com uma mangueira presa no biquini dessa forma?

Puxando um pouco o assunto de roupas, outra coisa comum nos dois jogos é que existe a bizarra possibilidade de se casar com uma ou mais meninas-navio. Pois é, se não bastasse os marmanjos descerem tão baixo a ponto de jogar um jogo desse tipo, eles ainda podem suprir seus desejos amorosos ao casar com sua predileta. Claro, existe um objetivo prático em ambos os jogos, pois após o casamento a menina-navio pode ganhar mais pontos de experiência e ficar mais poderosa com isso... mas sabemos bem que a real motivação de muitos nerds é poder achar que se casou com uma garota, mesmo que ela seja de faz-de-conta.


Enfim, brincadeiras à parte, Azur Lane ganha de Kantai Collection pelo fato de que algumas das meninas-navio possuem uma roupa especial após o casamento, de forma que elas tenham um verdadeiro vestido de noiva. Uma boa sacada do jogo chinês.


Essas são as diferenças mais técnicas entre as meninas-navio dos dois jogos. Particularmente, eu acho que as garotas do Kantai Collection são melhor elaboradas visualmente, percebe-se que procurou manter um estilo mais comportado e recatado no visual delas, e digo que a idéia do visual danificado funciona bem, embora seja certamente apelativo. Por sua vez, Azur Lane ganha na customização, com a possibilidade de escolher o visual de forma manual, e de uma forma geral o traço dos desenhos é um pouco mais uniforme, diferente do Kantai Collection onde tem artistas com estilos bem distintos. Na minha opinião, isso torna o jogo mais agradável de se ver, pois um certo padrão é mantido, apesar de algumas meninas-navio serem exageradamente sensualizadas.

Claro que gosto não se discute. Até porque a apelação gráfica está presente nos dois jogos, seja nas roupas rasgadas de Kantai Collection, seja nos peitos desafiadores da gravidade e trajes sumários de Azur Lane. Ambos não são jogos para crianças ou para os politicamente corretos babacas que se ofendem com qualquer coisinha...


E algo que fica bem claro é que Azur Lane parece ter sido pensado por adolescentes chineses no cio. Digo isso pois as garotas do jogo não apenas usam roupas bem provocantes, mas também possuem um físico que parece que algumas delas saíram de um filme pornô. Enquanto em Kantai Collection a maioria delas segue proporções relativamente normais (embora existam sim muitas que são bem dotadas), em Azur Lane algumas levam uma carga nos seus sutiãs extremamente pesada, que deve no mínimo causar dores nas costas.

Isso até costuma gerar motivo de piada quando os jogos são comparados, como nessa tirinha onde as porta-aviões Shoukaku e Zuikaku de cada jogo se encontram.


Curioso observar como as representações de Shoukaku são muito semelhantes nos dois jogos... e como que há uma enorme diferença na comissão de frente das duas Zuikakus... Pessoalmente, sou mais a versão do Azur Lane, e não necessariamente por conta das corcovas abundantes, acho que a do Kantai Collection é muito chatinha, talvez por conta de ser uma reclamona no desenho.

Porém, como eu comentei acima, eu vejo um estilo mais elegante e bem aplicado no jogo japonês. Podem me chamar de babaca ou mesmo de hipócrita, mas tem horas que o Azur Lane acaba sendo demasiadamente erotizado, não precisava ter feitos certos visuais tão apelativos. Kantai Collection é mais neutro, acho que mostra um estilo mais agradável e natural. Como quando comparamos as versões de Haruna, que representa um cruzador de batalha japonês que conseguiu a proeza de sobreviver até o final da guerra.


Admito: acho a Haruna de Kantai Collection uma gracinha (pra quem não faz idéia, é a da esquerda), estilo que você leva pra casa para apresentar aos seus pais... E sim, sei como soou extremamente deprimente eu ter dito isso de um personagem de jogo/desenho japonês.

E tem as situações na qual os dois jogos acabam recorrendo aos hormônios descontrolados da maioria dos jogadores, que ficam de calças apertadas por conta das meninas-navio curvilíneas. Como é o caso das duas malandrinhas abaixo, a Atago de Azur Lane de branco e a Atago de Kantai Collection de azul, ambas "batendo cocos" de forma assanhada.


Agora, tem algo que eu preciso falar sobre o Azur Lane... outra razão que me faz simpatizar um pouco mais com a arte de Kantai Collection. E peço desculpas adiantado pelo palavreado.

Mas eu acho ESCROTO PARA CARALHO essa idéia de colocar as garotas japonesas misturadas com partes de bichos, como orelhas de cachorro, caudas de raposa ou chifres de monstro.


Sinto muito Yamashiro do Azur Lane. Você é muito cuti-cuti e tão doce a ponto de causar diabetes, mas essas orelhas e esse rabo de gato são simplesmente brochantes,

Eu entendo que isso faz parte da história. As nações "do mal" se aliam às Sirens e com isso têm acesso a tecnologias avançadas, ainda desconhecidas pelos seres humanos. As alemãs do Iron Blood recebem equipamentos mecânicos e assombrosos, como se fossem exterminadoras do futuro com mãos com garras metálicas e armaduras com bocas e tubarão, e parece que as japonesas do Sakura Empire receberam modificações genéticas para supostamente ficarem mais poderosas. E aí temos um desfile de meninas-navio misturadas com gatos, cachorros, coelhos, bodes e outros animais.


Curioso é que algumas poucas não têm esse visual tosco que parece ser resultado de um tarado por zoofilia. É o caso justamente das duas porta-aviões Zuikaku e Shoukaku da historinha em quadrinhos acima, por exemplo. E tem um motivo para tal: acompanhando as histórias, elas duas são algumas integrantes dessa nação que acham as intenções das Sirens suspeitas, e dessa forma não aceitam o controle das alienígenas.

Nunca entendi os orientais... Pois essa tara por meninas com partes de animais não é algo exclusivo de Azur Lane, é só você olhar alguns animes e mangas e logo vai se deparar com criaturas parecidas. Não sei por que eles gostam disso. Muitas das meninas-navio japonesas do jogo são jeitosinhas e simpáticas, algumas logicamente bem atraentes e picantes, mas ao ver ali duas orelhonas de poodle ou uma cauda comprida saindo da saia pra mim é lamentável. Pessoalmente, elas ficariam mais bonitas sem essas partes de animais...

Outra coisa que eu acho meio difícil de entender no visual de Azur Lane é que não se segue um padrão sobre a idade das garotas de determinadas classes de navios. Como eu falei lá em cima, quanto maior o navio, mais velha (e tipicamente mais peituda) é a moça, e esse padrão funciona bem para essa idéia de antropomorfização. Por exemplo, tomemos as irmãs Nagato e Mutsu do Kantai Collection, que representam dois dos grandes encouraçados japoneses da Segunda Guerra Mundial. Pra quem não conhece o jogo, Nagato é a que tem cabelos pretos compridos e Mutsu é a de cabelos curtos castanhos (e extremamente adorável, na opinião deste texugo).


É o que se espera de meninas-navio encouraçadas: jovens com um pouco mais de idade, adultas. E,  logicamente, dotadas de blindagem dupla de grande porte.

Aí vamos para as mesmas meninas-navio, só que do Azur Lane... Como no seu concorrente japonês, Mutsu tem cabelos curtos e Nagato cabelos longos.


Tá de sacanagem, né? São duas meninas que parecem ser tão jovens como os destróieres. Nada a ver, não dá pra imaginar que elas representam mega encouraçados com poder de fogo fuderoso. Acontece com outras personagens também, como porta-aviões, por exemplo. E não consegui entender até agora a razão deles terem feito isso. E repito, acho escroto pra cacete essas orelhonas de bicho!

Aliás, falando de encouraçados, outro ponto negativo para o Azur Lane é o fato de que por algum motivo obscuro até agora não foram criadas meninas-navio representando as duas maiores classes de navios construídos. Me refiro ao gigantesco Yamato japonês e a classe Iowa norte-americana, que até agora não apareceram no jogo chinês, mas já estão presentes no Kantai Collection há bastante tempo.


Claro que se formos ser críticos, existem navios faltando em todos os jogos. Mas acho curioso que os maiores já construídos, e que provavelmente são os mais conhecidos, não tenham aparecido em Azur Lane ainda.

Enfim, a questão visual é muito subjetiva, cada um vai ter as suas preferidas por esse ou aquele motivo. Provavelmente eu vou acabar rendendo com esse assunto de meninas-navio quando fizer um post elencando as que eu gosto mais... E sim, sei o quanto isso é ainda mais patético...

Como da mesma forma comparar jogos sem dúvida é algo complexo de se fazer, especialmente dois que possuem premissas tão diferentes. Dizer que um é melhor do que o outro não me parece justo, pois cada pessoa tem suas preferências quando o assunto é jogo. Seria como querer comparar o Double Dragon ou Streets of Rage com o Street Fighter ou Mortal Kombat: tudo bem que todos são jogos de luta, mas os dois primeiros são beat'em-ups onde você enfrenta hordas de inimigos, enquanto que os dois últimos são do estilo um contra um. Embora sejam jogos semelhantes, possuem premissas distintas.

Mas mesmo assim existe sim uma grande rivalidade entre Kantai Collection e Azur Lane. Embora certamente haja algo entre as empresas que desenvolvem os jogos, uma competindo contra a outra, acredito que a maior parcela responsável por essa disputa seja por conta de fãs fanáticos de ambos os jogos.


Os fãs de Kantai Collection geralmente seguem pela linha de raciocínio que, como seu jogo foi o original, por isso ele é o melhor, e todos os demais são cópias baratas, imitando a idéia de meninas-navio. Por outro lado, aqueles que seguem o Azur Lane tipicamente criticam o gameplay de seu rival japonês, considerado sem graça.

Pessoalmente, acho que não tem nada a ver usar essas coisas como motivo para criticar o outro. Tudo bem, Kantai Collection foi o original, mas antropomorfismo japonês é mais velho que o Jaspion, desde sempre eles misturam pessoas com coisas das mais diversas. E mesmo que Azur Lane tenha mais ação, repito que comparar estilos de jogos é irracional, cada um tem a sua preferência. Afinal, tem gente que se diverte com SimCity e outros jogos mais focados em simulação.

A verdade é que cada um é livre para gostar do jogo que quiser. Você até pode ver pontos negativos em um deles que o leve a não curtí-lo, todos têm esse direito. Mas acredito que a rivalidade promovida pelos fanáticos chega a ser doentia e desnecessária, não leva à nada. Até porque muitas pessoas (como eu) gosta dos dois jogos, e aceita a coexistência pacífica de ambos.


Pra quem não entendeu, são as duas versões do porta-aviões Kaga japonês, mostrando que podem existir múltiplos jogos de meninas-navio sem a necessidade de briga.

Saindo um pouquinho da análise dos jogos em si, podemos comparar muitas outras coisas relacionadas aos universos de Kantai Collection e Azur Lane. Como falar de onde as produtoras dos jogos realmente ganham dinheiro, que é no merchandising.

Nesse ponto eu diria que a vantagem do Kantai Collection é esmagadora, talvez por conta de ter um pouco mais de tempo de existência em relação ao seu rival. São inúmeras revistas em quadrinhos diversas, material escolar de todos os tipos, até mesmo livros de RPG baseados nas meninas-navio japonesas. Sem falar das figuras, que vão desde as mais realistas até aquelas de visual mais cômico e engraçadinho, o que não falta são bonequinhas das mais variadas.


Azur Lane também tem esse tipo de produtos para os fãs, mas que são em bem menor número. Existem também algumas revistas em quadrinhos (sendo que algumas delas parecem "oficiais", lançadas pela produtora do jogo), adesivos, camisetas e também algumas figuras de suas principais meninas-navio. Mas o repertório parece ainda limitado, pelo menos baseado na busca do Google. Talvez depois de algum tempo eles devem chegar um pouco mais perto da quantidade de produtos do Kantai Collection.


Logicamente que eu estou abordando apenas objetos normais... Pois sabemos muito bem da Regra 34: se algo existe, então existe algo pornô disso. Ainda mais se falamos dos orientais, que são pervertidos por natureza, e inventam desenhos eróticos (os famosos hentais) de qualquer coisa, e geralmente perdendo a linha. Assim, não é de se surpreender que existam quadrinhos de putaria e outras obscenidades das meninas-navio, que eu sequer vou procurar na Internet pra não estragar minha simpatia pelos dois jogos.

Mas eu fiquei com vontade de fazer um breve parênteses, para mostrar que esse tipo de visão pornográfica dos orientais não é apenas putaria, mas algo que chega a ser doentio e deprimente. Ao fazer essa postagem, para estimar o volume de itens de merchandising existentes de cada jogo, decidi procurar também no eBay, pra comparar a quantidade de itens. E eu fui apresentado a uma das invenções da turma de olhinho puxado, que são os travesseiros de nome dakimakura...

Além dos travesseiros normais pra cabeça, você deve saber que existem os travesseiros de corpo. São aqueles grandões que as pessoas, geralmente mulheres, abraçam para dormir de forma mais confortável. Pois muito bem... dakimakura é o nome dado a um tipo de travesseiro de corpo, que possui a estampa de um personagem japonês de desenho. E existem porrilhões de travesseiros assim, tanto do Kantai Collection como do Azur Lane.


Pelo que vi geralmente eles são assim, com estampas dos dois lados, como é o exemplo acima da porta-aviões Taihou de Azur Lane, onde a garota tipicamente está numa pose como se estivesse deitada na cama. E esse aí de cima é um dos "comportados", pois é comum encontrar travesseiros em que um dos lados é o mais apropriado para o horário, e do outro é a garota sem roupa, muitas vezes em poses sedutoras.

Eu nem sei por onde eu começo...


Quem compra um negócio desses? Tudo bem, eu sei que os orientais são pervertidos e ficam de salsicha empinada com desenhos eróticos de personagens de desenho. Mas comprar um travesseirão grande desses pra colocar na cama? Fico imaginando o adolescente japinha com um desses no quarto, e a cara de descontentamento de seus pais ao ver uma menina animada de peitos gigantescos "deitada" na cama, fazendo com que seus ancestrais se revirem no túmulo. Ou mesmo um sujeito adulto e barbado dormindo abraçadinho com sua heroína animada, cochichando obscenidades no seu "ouvido" e brincando de lancha em seus "peitos"...


Oh, a Humanidade! Só espero que esses travesseiros sejam feitos com tecido que seja fácil pra limpar, pois não duvido que devem acontecer muitos casos do sujeito perder o controle e mandar ver, achando que está com uma mulher de verdade.

Pior é se nove meses depois o travesseiro tiver um monte de almofadinhas... Aí a gente chama o pústula do Contour Pillow.


"É um milagre!"

Eu acho deprimente... Tudo bem que existem pessoas que são solitárias, que sentem falta de ter alguém. Este texugo mesmo se sente assim de vez em quando, tem horas que bate aquela dorzinha no lado esquerdo do peito quando não se tem um relacionamento mais íntimo com alguém. Mas, recorrer a uma personagem de videogame ou desenho para satisfazer seus desejos amorosos, eu acho lamentável. E materializar isso por meio de um travesseiro gigante, tentando representá-la como companheira de cama, é caso sério, motivo pra ir num médico.

Se um dia eu chegar nesse ponto, me internem, pois não tem mais jeito.


Voltando ao tema, outra coisa que podemos comparar são justamente as animações baseadas nos jogos, pois tanto Kantai Collection como Azur Lane chegaram nas telinhas também. E quem acompanha o blog sabe disso por conta da sátira da primeira temporada do Kantai Collection que eu fiz.

Por mais que ambos tenham atacado o campo dos animes, uma comparação neste momento é também injusta, por conta do momento em que foram lançados. Kantai Collection já concluiu sua primeira temporada, em 2015, contando a história da base naval sob os olhos da destróier Fubuki. Um filme continuou com a trama no ano seguinte, e em breve deverá ser lançada a segunda temporada da série, focando em uma outra personagem principal e novas batalhas.


O desenho é simpático... Apesar de alguns momentos bobinhos e de ter todas os clichés clássicos de um desenho japonês, a animação é bem descontraída e divertida, com umas piadinhas engraçadas e uma história legal. Sem falar que a animação é muito bem feita.

Por sua vez, Azur Lane só está lançando sua animação agora em 2019. Na verdade, seu primeiro episódio foi ao ar na Internet em outubro desse ano, está fresquinho do forno. Do pouco que pude ver da série, parece ter muito mais ação do que Kantai Collection, e achei interessante como o visual das personagens é muito semelhante ao jogo. Se mantiver a pegada do primeiro capítulo, promete ser muito bom.


E certamente terá sua devida sátira aqui no blog.

Daria para continuar procurando diferenças entre as duas séries de jogos... mas acho que cada um tem as suas peculiaridades, seus pontos fortes e fracos. Apesar disso, vejo que os dois conseguem pegar um tema que é bem peculiar e que normalmente só iria interessar a poucos, e torná-lo mais acessível ao público geral. Tudo bem que isso em grande parte é por conta de uma antropomorfização que chega a ser um pouco... abusiva de vez em quando... Mas vejo que ambos são jogos simpáticos de se jogar, uma boa distração.

Tudo bem... sei que tem zilhões de outros jogos que podem ser mais divertidos e desafiadores. E sei que mesmo assim é um estilo de jogo bem incomum. E também sei que um sujeito jogar um joguinho desse tipo, cheio de personagens japonesas "apelativas" pode ser motivo para zoação e piada. Mas, não me importo: acho Kantai Collection e Azur Lane bem legais e divertidos, tanto no aspecto dos jogos em si como das animações, melhor que muita bobagem que encontramos por aí.


Assim, podem apostar que essas meninas-navio, independente de qual dos jogos elas venham, devem aparecer por aqui algumas vezes mais, e sem rivalidade.
Terima kasih karena telah membaca berita tentang https://ift.tt/2Br3zIF, jika berkenan silahkan baca berita lainnya di website kami.
Silahkan berkomentar
  • Blogger Berkomentar dengan Blogger
  • Facebook Berkomentar dengan Facebook
  • Disqus Berkomentar dengan Disqus

No comments :