Mobil

[Automobile][threecolumns]

Motor

[Automobile][list]

Kapal

[Automobile][threecolumns]

Pesawat

[Automobile][list]

Kereta

[Automobile][twocolumns]

Mesin

[Automobile][bleft]

Robot

[Automobile][list]

Sunday, August 2, 2020

Felipe Neto, o idiota

Silahkan membaca berita terbaru tentang otomotif berjudul Felipe Neto, o idiota di website Batlax Auto.
Honestamente, eu estava em dúvida se eu iria escrever algo a respeito deste imbecil. Pois tem horas que eu penso que a melhor forma de você combater algo estúpido como esse panariço é simplesmente ignorar. Pois esse tipo de gente se alimenta do Ibope, do marketing pessoal, o velho e bom "falem mal, mas falem de mim". O quanto menos se dá atenção para esse tipo de criatura, melhor. Mas eu não consigo, vejo as asneiras que certas pessoas dizem e fazem, e me sinto na obrigação de fazer a minha parte pra mostrar o quanto que esse Felipe Neto é um idiota, e o mal que ele faz para a sociedade.


Não vou perder meu tempo aqui para narrar a biografia desse sujeito. Tá cheio de lugar na internet falando a respeito. Mais um desses youtubers que ganha atenção sem nenhum motivo, mostrando como que se valoriza tanto a mediocridade hoje em dia. Afinal de contas, um paspalho de trinta e poucos anos que banca o adolescente revoltado com tudo, falando palavrão, pintando o cabelo de roxo ou azul e imitando foca e, na minha opinião, uma pessoa deprimente e que precisa de ajuda médica. Mas parece que tem gene que gosta... como dizem, tem gosto pra tudo.

E não são poucos: tive a curiosidade de procurar o canal dele no YouTube (usando o modo anônimo, pois não quero que esse pulha apareça na minha lista de vídeos recomendados), e constatei que existem quase 40 milhões de seguidores. É mais que a população do Canadá, com 37 milhões de habitantes. Fico pensando quem deve ser essas pessoas, imagino que boa parte são crianças e adolescentes, que fazem parte de seu principal público-alvo. E esse é o ponto que eu considero que merece atenção.

Pois são quase 40 milhões de pessoas que, se seguem o Felipe Neto, é porque gostam dele, concordam com o que ele diz. Tá, tudo bem, talvez tenham aí alguns que seguem só por seguir, não é absurdo imaginar que exista uma parcela que se inscreveu em seu canal só por curiosidade, ou é alguém que quase não olha YouTube, ou até mesmo aqueles que não gostam dele, mas acompanham para ver que tipo de baboseira ele está falando. Mas, mesmo se a gente for considerar que esses seguidores superficiais sejam, sei lá, 50% do total, ainda estamos falando de praticamente 20 milhões de pessoas que enxergam Felipe Neto como uma referência, como uma voz a ser ouvida, que os influencia de alguma forma.


Não é à toa que se usa muito hoje em dia o termo "influenciador digital"... Pois se refere bem ao que certas pessoas fazem na internet, influenciando seu público a comprar o que ele sugere, a fazer o que ele recomenda, a pensar da forma como ele pensa.

Claro, não sejamos inocentes a ponto de imaginar que a influência só existe agora na era da internet. Desde que o mundo é mundo, existem pessoas que conseguem exercer influência sobre as outras, seja por suas ações, por seus discursos e de outras formas. Pegue grandes nomes da história, como Abraham Lincoln, como Júlio César, como Gandhi, como Isaac Newton, como Martin Luther King, como a Madre Teresa, e tantos outros nomes que conseguiram influenciar muitas pessoas de forma positiva, por meio de seus valores, de seus feitos políticos e científicos e assim por diante. Até mesmo podemos citar "maus influenciadores", tipo Hitler, Al Capone, Lênin, Pablo Escobar, que embora indiscutivelmente promoveram valores condenáveis e criminosos, não podemos deixar de considerar que foram sim grandes influenciadores, que conseguiram convencer muitas pessoas a segui-los.

Mas hoje em dia, se tornou muito mais fácil ser um influenciador. Antes era necessário fazer algo grandioso, como lutar pela independência de um país, se dedicar aos pobres, combater o racismo ou definir as leis mais importantes da Física. E muito mais difícil de atingir um grande volume de pessoas, só mesmo depois de muitos anos que a História viria a dar o devido destaque a essas pessoas. Hoje... basta ter um computador, uma webcam, uma conta no YouTube e imitar uma foca para ganhar milhões de seguidores e virar um influenciador...


Será que sou só eu que acho absurdo um merda desses ter tantos seguidores?

E aí é que mora o grande perigo. Pois, ao ter dezenas de milhões de seguidores, isso significa que essas pessoas confiam no Felipe Neto. Afinal de contas, ninguém vai seguir algo que não gosta. Por exemplo, eu imagino que os meus humildes 28 seguidores aqui do blog devem gostar do que eu escrevo, ou pelo menos da maioria das coisas que eu escrevo. O que é normal, pois divergências são naturais, podem e devem existir. Mas entendo que sejam 28 pessoas que confiam no que este simplório texugo, e gostam de ao menos ver o que eu tenho a dizer. 

Digo mais: não estou aqui por conta de números. Valorizo e agradeço muito pelos seguidores deste site, que nada mais é que minha "válvula de escape", meu pequeno passatempo e distração. Não troco estes 28 fãs por mil seguidores do Felipe Neto. 

Mas, voltando... fico a pensar sobre a responsabilidade que tem um influenciador digital, especialmente quando este tem mais seguidores do que a população de muitos países do planeta. Como disse acima, a influência pode ser para o bem ou para o mal, e muitas vezes grande parte desses seguidores vai aceitar e seguir esta referência de forma incondicional e cega, mesmo quando ela estiver errada. E aí que mora o perigo, pois o que vemos por aí, especialmente em plataformas digitais como YouTube, Facebook e Twitter, que são de acesso mais fácil (vídeos e textos curtos atraem mais do que uma longa postagem como essa), é que existem influenciadores irresponsáveis, que não medem as consequências de suas palavras.

Vide esse outro otário.


Estou só aguardando chegar o final deste mês, pra soltar uma postagem sobre esse imbecil do Atila Iamarino, por conta de sua previsão de 1 milhão de mortos no Brasil até o final de agosto. Previsão essa dita "otimista" pelo próprio sujeito. Só digo que são 92 mil mortos até o momento em nosso país, quase 1% da estimativa do sujeito. Com isso, faltam "apenas" praticamente 900 mil vítimas do vírus chinês para que tal previsão seja verdadeira, pra chegar nisso tem que morrer quase 30 mil por dia...

Não querendo desviar do assunto, mas esse é um exemplo de irresponsabilidade que um influenciador pode cometer. Pois o Atila tem também milhões de seguidores, e ainda por cima ganhou uma maior divulgação de seu nome e de suas opiniões graças à grande mídia. Afinal, tal discurso era perfeito para defender o "fique em casa" de forma irrestrita, contrariando o que o presidente dizia, essa previsão era algo favorável ao uso político da pandemia como forma de derrubar Bolsonaro. Milhões de pessoas enxergaram tal previsão como uma verdade, ao confiar cegamente na opinião de "especialista" como o Atila, deixando que suas opiniões e suas vidas fossem influenciadas por o que ele disse. 

O mês de agosto vai terminar, e vai ficar claro que ele errou. E não errou por pouco. Me pergunto o impacto dessa previsão na vida das pessoas há alguns meses atrás, o que elas mudaram, que deixaram de fazer, com medo do 1 milhão de mortos do Atila. Me pergunto até quantas pessoas não tiveram problemas de saúde, como insônia, depressão e até mesmo possam ter morrido de alguma forma influenciadas por esse discurso apocalíptico. E esse irresponsável nem pediu desculpas, nem se retratou, em nenhum momento veio reconhecer o exagero de sua previsão, e ainda procurou arrumar desculpas.

Mas chega de falar do Atila, como disse no final de agosto será a vez dele. Hoje estou aqui para falar do Felipe Neto, e vamos tentar manter a razão de um idiota por postagem.


E esse é o ponto que eu critico nesse Felipe Neto. Não apenas pelo fato de que ele possui uma quantidade muito maior de seguidores, mas considerando também que nesse monte existem muitos adolescentes e até mesmo crianças. A responsabilidade nesse caso é muito maior, pois estamos falando de jovens que muitas vezes não têm ainda o discernimento para entender certas coisas, falta ainda muita experiência de vida e senso crítico para saber interpretar nas entrelinhas, para entender que nada na vida é oito ou oitenta, para saber interpretar de maneira consciente e responsável o que é apresentado para eles. Assim, um influenciador, seja ele digital ou não, que tenha como seu principal público pessoas nessa faixa etária, deve ter muita responsabilidade na hora de escolher sobre o que vai falar e o que vai mostrar, sob o risco de influenciar essas crianças e adolescentes a achar que certas coisas são certas e naturais.

Seja sincero... olha pra cara desse mané, e me diga se realmente ele demonstra qualquer traço de responsabilidade.


Por isso que muitos o criticam, pois esse Felipe Neto é não apenas irresponsável em seus vídeos, mas também é motivado por aquela ideologia que eu canso de dizer que vai acabar com a sociedade, que é o politicamente correto. Não é à toa que a turminha progressista de esquerda curte o sujeito, e está agora passando a mão em sua cabeça, pois sabem da importância de seu papel em corromper a mente de crianças e adolescentes com esse papinho tuti-fruti politicamente correto. 

Acham que eu estou exagerando, que eu estou sendo motivado pela política? Tudo bem, vamos ver alguns exemplos do tipo de coisa que o Felipe Neto divulga para seu público.

Começo com um dos exemplos que se falou muito recentemente, oriundo de seu livro. Sim, pois um influenciador digital não deve se restringir aos domínios da internet, é importante exercer sua influência nas livrarias. No livrinho dele, com sua cara de asno na capa, no meio das páginas tem uma que sugere uma brincadeira com o singelo título de "Casa, Mata ou Trepa."...


Sim, isso mesmo que você leu. Livro para criança. "Casa, Mata ou Trepa". 

Sabe do que se trata a brincadeira? O animal sugere que você escolha três pessoas, e então o seu amigo precisa escolher com qual delas você casaria, qual você mataria e com qual você treparia. 

Por acaso alguém acha que esse tipo de "brincadeira" é própria para crianças?

Não vou nem comentar a parte do "trepa". Primeiro, acho que não precisa. E segundo, pode ser que apareça alguém "moderninho" que vai dizer que não tem nada de mais sobre a criança ter noção de sua sexualidade, mesmo tão jovem. Discordo completamente desse tipo de pensamento, cada coisa tem o seu momento. 

Mas, não vou nem seguir por esse tema, vou focar na parte do "mata". Por mais que você possa ser progressista, por mais que você ache lindo um menino transsexual de quatro anos ou qualquer outra situação que envolva uma criança precocemente em questões de cunho sexual, eu acho que mesmo assim você não aprovaria um livro infanto juvenil sugerindo que o leitor escolhesse alguém que ele gostaria de matar. Considero extremamente absurdo que um livro infantil tenha essa ideia cretina, nenhum pai em sua sã consciência iria aprovar tal literatura para seus filhos. Embora vimos uma completa morosidade e silêncio daqueles que se dizem defensores da moral e dos bons costumes... 

Mostra mais uma vez como é a hipocrisia dos calhordas politicamente corretos: acham que é impróprio que em um desenho do Pernalonga o Hortelino tenha uma espingarda, mas não condenam o livro de um youtuber que propõe uma brincadeira para que a criança escolha quem deve matar...

Pior de tudo é ver as sugestões que supostamente o Felipe Neto escreveu na brincadeira. Tipo, dizendo que treparia com o Neymar e esperaria engravidar, dizer que casaria com o Bruno Gagliasso, que mataria a Anitta e treparia com o Pablo Vittar...


Pois é... tá na cara que esse Feipe Neto gosta de subir no pau-de-sebo.

E se não fosse suficientemente absurdo, um dos nomes que ele indica para que a criançada escolha uma ação é do Kid Bengala... Isso mesmo, um dos nomes é de um atriz pornô, que não ganhou o apelido por ser um sexagenário que precisa do apoio de uma bengala pra andar. Sério, fico me perguntando a criança, que provavelmente não sabe quem é o Kid Bengala, e vai lá no Google procurar...

Será que alguém ainda acha que esse puto do Felipe Neto não é um irresponsável? 

Logicamente que o Felipe Neto e os seus defensores vão dizer que essa página é de uma versão antiga do livro, e que foi removida. Mas isso não é desculpa, não deveria ter aparecido pra começo de conversa. E é muito provável que isso não teria sido feito se não houvesse uma repercussão tão negativa assim. Vou até dar o benefício da dúvida, vamos até supor que tal ideia tenha sido de um dos editores do livro (o que eu duvido), e o Felipe Neto não tivesse nada a ver com isso (que duvido mais ainda). Puta que pariu, se o livro é dele, é a imagem dele... será que se ele fosse tão preocupado em não passar valores inadequados para crianças, ele não iria revisar o livro antes de ser lançado, e teria pedido para remover a tal brincadeira? Ou será que ele é tão burro e inconsequente assim? Não fode...

Talvez alguém possa falar que tais vídeos e livros eram de uma época anterior, quando ele começou e tinha um conteúdo mais escrachado e que não era direcionado para crianças. Pode ser até que apareça aqui alguém dizendo que hoje ele coloca inclusive uma classificação etária em seus vídeos mais "pesados", para que os mais jovens não se exponham a algo inadequado. Parece até condenado que se converte na prisão e vira religioso, e acha que apenas com isso o passado será inteiramente apagado.

Na boa... pra começo de conversa sabemos que esse lance de classificação etária é uma babaquice. Não estou dizendo que não seja importante, mas também temos que ser realistas, a imensa maioria das pessoas vai cagar pra isso. Ainda mais aqui no Brasil. Não adianta negar, essa é a realidade. Ou você acha que o moleque de 15 anos, ao clicar no link com o vídeo da Mia Khalifa no Pornhub, vai parar diante do aviso "esse conteúdo é impróprio para menores de 18 anos"? É assim hoje em dia, em que podemos acessar praticamente tudo na internet, já era assim até no meu tempo. 

Sério, só eu mesmo que esperei até os 18 anos para comprar minha primeira Playboy...


Mas a maioria não respeita essas coisas. Até porque o próprio Felipe Neto já fez vídeo ensinando para as crianças como acessar vídeos proibidos no YouTube, depois de criar uma conta. Me diz então que moral tem um sujeito que ensina como burlar a restrição no site para seus seguidores, e depois tenta posar de santo? 

Recentemente, ele começou a se envolver com discurso político. Fico me perguntando se foi mesmo iniciativa dele, ou se a turma da esquerda viu no Felipe Neto uma ótima oportunidade para doutrinar mais gente. Foi só começar a demonstrar que era contrário ao Bolsonaro, xingando seus eleitores e criticando tudo que ele fazia, que logo começaram a ver que ele poderia ser uma forte voz de oposição. Lembrando, ele tem quase 40 milhões de seguidores, compostos principalmente por jovens que ainda não se interessam por questões políticas. E aí começam a escutar demagogia ideológica de esquerda da boca do influenciador, e é questão de tempo para que muitos desses seguidores acabem sendo doutrinados a pensar como ele.

A realidade é que vivemos em uma realidade nova, em que as redes sociais e a internet se tornaram grandes formadores de opinião. A mídia tradicional, tipo Globo, já percebeu isso. Antigamente o povo só sabia o que o Jornal Nacional mostrava, hoje temos uma rede de informação na internet onde podemos ter acesso a muito mais. A esquerda percebeu isso, a grande mídia percebeu isso, os inimigos do Bolsonaro perceberam isso. Antes era mais fácil, pagando e dando regalias às grandes emissoras e meios de comunicação era moleza controlar o que seria notícia, o que seria divulgado, que "verdade" seria apresentada para o público. Hoje, é mais complicado ter o controle.

Aí, pra voltar a tomar as rédeas da situação, precisa basicamente de duas coisas. A primeira é encontrar na internet aqueles que sejam aliados do Bolsonaro, conservadores que defendem uma agenda contrária à ideologia progressista e politicamente correta, defensores de valores verdadeiramente corretos. E promover uma "caça às bruxas", recolhendo seus computadores, bloqueando suas contas e perfis sociais no Brasil e em todo o mundo, sob a descarada alegação que eles propagam notícias falsas...


Pois é, agradeça ao Alexandre de Moraes, o cabeça de piroca, por essa. Perdeu a noção total esse careca, tá querendo mandar no Facebook e no Twitter no mundo inteiro, censurando previamente pessoas que não cometeram nenhum crime. Sério, esse Lex Luthor de toga ainda vai se dar mal com toda essa prepotência e arrogância inconstitucional...

Enfim, mas não podemos negar que metade do plano é isso, calar na internet aqueles que sejam defensores do Bolsonaro e do conservadorismo. Depois, a segunda metade do plano é colocar em evidência um ou mais nomes, de grande influência no meio digital, para falar a respeito de política. Aí vemos um certo youtuber dando opinião política no New York Times, fazendo live com o "boca de veludo" e sendo convidado pelo Rodrigo "Nhonho" Maia pra falar no Congresso sobre fake news... 


Tá tudo orquestrado... como diria o profeta, nada é por acaso. Tudo faz parte do plano... O problema é que tem gente que já tá colocando água no chopp e desmascarando essa putaria toda. 

Enfim, diante de coisas assim é que eu digo que esse Felipe Neto é extremamente prejudicial para a sociedade. Não apenas por ser mais um youtuber medíocre, junto com o irmão dele e outros boçais, que só emburrecem as crianças e adolescentes, além de promover pautas inadequadas e controversas, mas também por fazer uso de sua fama para promover discurso de ódio contra quem é mais conservador e/ou apóia o presidente Bolsonaro. Ele é um merdel, um panariço, um bundão com esse cabelo colorido escroto, e que não sabe pôrra nenhuma de política.

Pra você ver como ele é na verdade um zero à esquerda, é só dar uma olhada em como está a votação da tal live que ele fez com o Barroso. Esse print eu tirei hoje, cerca de 18:30 da tarde. Veja só: até o momento, 215 mil pessoas votaram como "não gostei", embora acho estranho que ontem parecia que tinha um pouco mais que isso... Eu me incluo nessa, votei de forma negativa sem assistir nem meio minuto dessa pôrra, pois acho abjeta a ideia de um ministro do STF gastar uma hora de seu tempo pra ficar debatendo com um palerma como o Felipe Neto. 


Agora, pergunto o seguinte: alguém consegue me explicar como que um "fenômeno" da internet como o Felipe Neto, com quase 40 milhões de seguidores, participa de um vídeo como esse, que foi bem divulgado na mídia, e teve somente 635 mil visualizações (lembrando que aqui temos que incluir quem acessou só pra votar contra) e irrisórios 22 mil joinhas?

Não é nem 0,5% dos seus seguidores... Só mostra como esse cretino é irrelevante, e que esse grande número de seguidores deve até ser marmelada, só pra construir o mito de grande influenciador digital. Afinal de contas, era de se esperar que pelo menos uma parte de seus "fãs" iria se engajar em assistir o seu ídolo falando com um ministro do STF... ou pelo menos para ir lá dar um "like" e equilibrar um pouco a balança dos votos, onde o "gabinete do ódio" está ganhando de goleada.

Enfim, alguém pode chegar aqui e me criticar por estar querendo destruir a reputação do Felipe Neto. Aliás, esse é o discurso promovido pelos seus defensores, que existe um complô de pessoas que querem acabar com a reputação dele. Sério, quando escuto algo assim, eu tenho vontade de dar gargalhada. Reputação? Do Felipe Neto? Só se for na cabeça de gente sem noção, pra mim esse besta não tem sequer nenhuma reputação pra perder. 

E segundo, eu pergunto mais o seguinte: se há toda essa preocupação em condenar a destruição de reputações, em criticar o "cancelamento"... por que não existe a mesma postura diante de outras pessoas que tiveram suas reputações agredidas e que foram cancelados, e até mesmo silenciados? A grande mídia se mostra preocupada em preservar a reputação do Felipe Neto, mas não dá um pio quando o Lacombe foi demitido da Band só pro ter assumido ser conservador? Querem defender a liberdade de expressão e o direito de opinião de um youtubber verborrágico e alucinado, mas ficam em silêncio quando jornalistas e blogueiros conservadores tiveram suas contas censuradas? Ficam sensibilizados com as críticas e ameaças que esse cocôboy de cabelo pintado sofreu, mas ignoram xingamentos, ameaças e agressões que os defensores do presidente sofrem todos os dias?


Com todo o respeito, vão tomar no meio do rabo. Vai se fuder. Já tá ficando feio, essa postura corporativista de mesmo peso e duas medidas. 

Esse Felipe Neto é, na minha opinião, um grande merda. Um idiota. E um idiota útil, pois se oferece, de forma voluntária ou se permitindo ser usado, a ser uma voz da esquerda criminosa, que quer tomar o poder a qualquer custo. Mesmo que tenham que se valer de práticas criminosas, mesmo que tenham que censurar as vozes contrárias. Quem tinha que ser censurado é esse imbecil do Felipe Neto, bostejando idiotices pelos cantos. E que depois fica aí choramingando, dizendo "ai, estou sendo vítima de fake news e de perseguição"... Vai se fuder, seu merda! 

Perseguição e fake news nos olhos dos outros é refresco, né? Quando é fake news contra o governo, quando é perseguição contra apoiadores do Bolsonaro, aí você acha legal, acha engraçado, não vê problema... Aprenda uma coisa: todos nós temos que saber lidar com as críticas, com as ofensas, ainda mais quando se é uma pessoa pública como você. É a coisa mais natural, se aparece algum hater te xingando, é só você bloquear de seu canal e viva feliz. Ou simplesmente ignorar, que é o que eu devia estar fazendo com você. Uma pessoa segura de si age dessa forma, e não vai em prantos ao Jornal Nacional pra dizer que é uma vitima. Ainda mais você, cínico e hipócrita, que critica e xinga os outros também, mas não aceita quando fazem o mesmo com você. Cresça, pôrra!
Terima kasih karena telah membaca berita tentang https://ift.tt/3gjAAt6, jika berkenan silahkan baca berita lainnya di website kami.
Silahkan berkomentar
  • Blogger Berkomentar dengan Blogger
  • Facebook Berkomentar dengan Facebook
  • Disqus Berkomentar dengan Disqus

No comments :